Pesquisa revela números do empreendedorismo no Brasil

Neste 5 de outubro, Dia do Empreendedor, as mulheres têm muito o que comemorar. Isso, porque, de acordo com os dados da mais recente edição da pesquisa Global Entrepreneuship Monitor (GEM), realizada pelo Sebrae, é cada vez maior o número de brasileiras abrindo seu negócio próprio.

O levantamento aponta que 21,7% dos homens entre 18 e 64 anos e 20,3% das mulheres estão empreendendo pela primeira vez, assim como no México que também apresenta elevado número de mulheres empreendedoras, indo de encontro a países como Índia, Estados Unidos e Alemanha, em que empreendedores homens ainda são a maioria.

A mostra, coloca ainda o Brasil em primeiro colocado no ranking de abertura de novos negócios. Para se ter uma ideia, só no primeiro trimestre deste ano, o Estado do Paraná registrou um aumento de 15% no número de empresas abertas em relação ao mesmo período de 2016.

De acordo com o último levantamento da Junta Comercial do Estado (Jucepar), 40.282 negócios foram oficializados entre janeiro e abril último –  índice 15% acima do registrado no primeiro trimestre de 2016, quando foram abertos 35.001 novos negócios no Estado.

Ainda no Paraná, o número de novas empresas aumentou em 13% no primeiro trimestre do ano, totalizando 10.605 novos negócios, enquanto que no mesmo período de 2016, o montante chegou a 9.365. Isso sem considerar os novos negócios enquadrados na categoria Microempreendedor Individual.

Indo ao encontro dos dados do levantamento, constatou-se que o número de baixa de empresas  diminuiu. Dados da Junta Comercial registraram 13.348 negócios extintos no primeiro trimestre deste ano – uma queda de 10% com relação aos 14.710 registrados no mesmo período de 2016.

A pesquisa do Sebrae, em parceria com a Babson College e London Business School, aponta ainda que, entre os brasileiros, o sonho de ter um negócio próprio aparece em quarto lugar, perdendo apenas pelo desejo de viajar pelo País, ter a casa própria e um carro.

Constatou-se também, que o desejo de abrir um negócio próprio não vem apenas da necessidade, resultado do elevado índice de desemprego, mas sim, por vontade própria.

Dados comprovavam, já em 2002, que a taxa de brasileiros com idades entre de 18 e 64 anos sem ocupação era de 12%, enquanto a taxa de empreendedores nesta mesma faixa etária era de 21%. Em 2015, a taxa de desemprego tinha caído para 7%, enquanto a de empreendedorismo registrou alta de 39%.

Por fim, brasileiros de ambos os sexos com idades entre 25 e 34 anos são os que mais dedicam tempo e investimento ao seu novo negócio, o que equivale a 26,2% dos entrevistados. Entre os empreendedores já estabelecidos, a faixa dos 45 aos 54 anos é a que mais se destaca no país – 31,5%.